quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Quem é você, Alasca? - John Green

Estou colhendo ideias para trabalhos futuros. Pretendo escrever romances e já que John Green tem sido o escritor mais lido entre os adolescentes nesses dias, nada melhor do que começar por ele. A minha namorada e suas amigas viviam com o livro "A Culpa é das Estrelas" na boca, dizendo o quanto sua história é incrível. Esse eu ainda não li, mas já está na lista de espera. Pois bem, vamos a análise de "Quem é você, Alasca?"


Miles Halter é um adolescente apaixonado por célebres últimas palavras e está cansado de levar uma vida segura e sem graça na casa dos pais. Vai para uma nova escola à procura daquilo que o poeta François Rabelais, quando estava para morreu chamou de 'Grande Talvez'. Muita coisa o aguardavam em Culver Creek, inclusive a jovem misterioso e sensual Alasca Young. Inteligente, engraçada, problemática Alasca leva Miles para o seu labirinto e o lança em direção ao Grande Talvez.

A estética do livro é incrivelmente apaixonante. Não dá vontade de parar de ler nenhum segundo. Os diálogos bem formulados e apresentado sem o famoso "travessão" o deixa ainda mais interessante. O livro é dividido em duas partes "Antes e depois" de um fato super importante que não pretendo dizer para não tirar a graça do livro. São muitos elementos que mostram o quanto John Green tem talento para escrever. O Livro ficou por muito tempo em 1º lugar na lista dos mais vendidos do New York Times.

Se disser que não gostei do livro, estarei mentido, porém não aconselho sua leitura para adolescentes evangélicos ou de mente casta pelos seguintes motivos: 1 - O livro faz uma apologia muito forte ao uso da maconha e da bebida alcoólica; 2 - Possui linguagem pouco obscena; 3 - Coisifica a relação sexual e tenta mostrar que a vida é sempre mais incrível quando vivida de forma irresponsável. Os fãs que me perdoem, mas espero que os outros livros dele me deixem mais entusiasmado.

Se também leu o livro e tem uma opinião diferente da minha, deixe seu comentário. Será muito bom conhecer novas opiniões sobre a obra.
   

Nenhum comentário :

Postar um comentário