terça-feira, 14 de abril de 2015

Malévola

Hoje trago até vocês Malévola, um filme baseado no clássico conto infantil "A Bela Adormecida". Já vi o filme três vezes! muito bem feito com efeitos visuais incríveis e roteiro impecável. O longa gira em torna da história da fada "má" da história original.
Aquela que amaldiçoa a princesa para que a mesma espete o dedo em uma roca de fiar! Pois é, segundo o filme ela (Malévola) só faz isso por causa da traição do pai da menina que teria vivido um romance com ela e que, por ambição a engana e ainda arranca suas asas de fada. No início do filme ela não é má, porém as consequências acabam levando-a para o caminho da maldade... Mas isso é só no início.

Não vou contar mais sobre o filme, apenas que após ter sido amaldiçoada por Malévola a princesa Aurora é levada para a floresta pelas três fadas boas (e lerdas) a mando do rei para ser mantida em segurança até que se passe o tempo da maldição. Por serem desastradas, as fadas não sabem cuidar da menina; para assegurar o cumprimento de sua maldição Malévola assumi o papel de baba e cuida da menina, só que acaba se apaixonando por ela, pois a tem como filha e tenta desfazer o feitiço sem obter sucesso. Então a mesma acaba travando uma luta até com o pai da menina para salva-la.

Apesar do personagem principal carregar dois chifres enormes que assusta qualquer cristão conservador a não chegar nem perto que dirá ver o filme, eu não consegui ver maldade alguma nele. Pelo contrário, com ele pude trabalhar com meus alunos a questão da adoção, pai é quem cria e não quem coloca no mundo, e a questão do amor verdadeiro que só passa a existir de verdade após um logo período de convivência com a outra pessoa, pois o beijo de amor verdadeiro que salva Aurora do sono profundo é o de Malévola e não o de um príncipe que só aparece no final dos contos. 

Antes de terminar meus comentários gostaria de deixar a última mensagem deixada pelo filme que é a seguinte: "Nem tudo que se parece com o cão o é; às vezes ele encontra-se disfarçado em pele de cordeiro. Quem você acha que é o vilão, na verdade é o mocinho da história." Na minha humilde opinião, pode deixar seu filho ver a vontade... Ou melhor, veja com ele. 

Nenhum comentário :

Postar um comentário