sábado, 20 de agosto de 2016

Eleições 2016 - Como e porque resolvi me candidatar

Desde a eleição passada que sentia o desejo no meu coração de me candidatar ao cargo de vereador da cidade de Patu, cidade que amo por ter sido a terra que Deus escolheu para me abençoar. Por essa razão me sinto em dívida com seu povo e, para tentar pagar essa dívida vivo a desenvolver projetos que possam abençoar o povo trazendo melhorias em sua qualidade de vida e também na propagação do evangelho, por acreditar que a Bíblia contém todos os ensinamentos necessários para a transformação do ser humano.

Quando o irmão Arrilton Cândido me lançou a pergunta pela primeira vez se eu desejava lançar a minha candidatura respondi um não de imediato porque não me sentia firme o suficiente para suportar as ondas de tentações que, tanto a campanha quanto o cargo político carrega. Mas agora, em 2016, quando fui questionado mais uma vez pelo mesmo irmão a quem devo muito pelos seus conselhos e orientações sobre a minha possível candidatura, eu mesmo solicitei que lançasse meu nome nas redes sociais para ver como o povo reagiria a essa notícia e, para a minha surpresa a aceitação foi unânime. 

Daquele momento a chama política começou a arder no meu coração,  não pelo cargo, mas pela sede que sempre tive de ajudar cada vez mais as pessoas. Tomei a decisão de lançar a candidatura com o objetivo principal de não lançar mão de nenhum meio escuso para me eleger, mas de glorificar a Deus por meio de uma campanha limpa e justa tentando trabalhar a consciência das pessoas para fazerem escolhas sábias baseadas na honestidade e no caráter dos candidatos.

A minha decisão não foi vista com bons olhos por muitos que garantiram que não seria eleito porque a política, infelizmente era feita no Brasil por meio de recursos financeiros, coisa que não disponho no momento. Não deixei que essas palavras pudessem enfraquecer o meu coração, pelo contrário respondi para esses que, mesmo não sendo eleito a minha campanha servirá para engrandecer o nome de Deus através de uma conduta limpa e íntegra diante dos homens dessa cidade.

Deus não me disse para lançar candidatura, também não me proibiu de lançar. Uma coisa eu posso dizer: Ele tem me revelado que está comigo, tem me dado força para lutar e tenho fé que o resultado será o que Ele tem de melhor para mim e estou disposto a aceitar a sua vontade porque ela é boa, perfeita e agradável.

Nenhum comentário :

Postar um comentário